O golpe é americano e contra o Estado brasileiro

Fernando Rosa

É importante que a presidenta Dilma explique exaustivamente que o golpe é fruto de uma acusação sem provas – “que impeachment sem crime de responsabilidade é golpe”. É fundamental que autoridades do governo denunciem que o golpe é para acabar com os programas sociais e rasgar a CLT. É ainda mais justo e legítimo que todos alertem que o golpe é contra a democracia, duramente construída na luta contra a ditadura.

No entanto, para vencer o golpe é decisivo compreender o caráter mais profundo do que está em curso, que vai além do cenário paroquial apresentado diariamente pela Rede Globo. Como já dissemos em artigo anterior, o golpe é contra o Estado Nacional, é contra nossa existência enquanto país e povo com inserção soberana na região e no mundo – é contra o legado de Getúlio Vargas, João Goulart, Lula e mesmo dos militares nacionalistas. O objetivo imediato é assaltar o Pré-Sal, mas também tem como alvo destruir a indústria nacional, nossa infra-estrutura instalada e capacidade de defesa.

É cristalino o objetivo geopolítico americano, que não aceita um Brasil articulado principalmente com a China e integrado ao BRICS, com um banco de financiamento próprio. O golpe, portanto, tem a digital de um “golpe americano” clássico, desde a manipulação das manifestações de 2013, passando pela captura de parte da máquina do estado e pelo financiamento dos “silvérios dos reis” do parlamento. Evidenciar isso é fundamental para liberar a energia do povo e da Nação, ampliar a mobilização e constranger os golpistas, a curto e médio prazo.

O Brasil não pode mais conviver com lideranças que de um lado atraiçoam qualquer tentativa de construção soberana da Nação, e de outro que ignoram a dimensão estratégica da luta anti-imperialista. O golpe não se sustenta de pé porque nem os golpistas, nem seus patrões externos tem o que oferecer ao país, a não ser destruição econômica, assalto às riquezas e caos social. Mas, para superar essa realidade, é preciso descortinar um novo horizonte para o país, um projeto de Nação que reconstrua suas instituições, garanta a soberania e afirme a democracia.

dilma-brics
Reunião dos Chefes-de-Estado do BRICS, em Fortaleza (CE), em 2014.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s