Moro, jagunço do Império

Fernando Rosa

“O advogado de Mantega, José Roberto Batochio, disse que o ex-ministro foi preso no  hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde estava com a mulher, que passou por uma cirurgia. “Ele está sendo retirado da sala de cirurgia por policiais nesse momento”, disse Batochio ao G1 às 7h50″.

A prisão reativou a Operação Lava Jato que estava parada e sinaliza nova ofensiva contra Lula. Dois dias antes, o juiz Sérgio Moro aceitou a denúncia e indiciou o ex-presidente. A nova fase da operação é desencadeada depois de Moro “dar palestra” nos Estados Unidos. Na ausência dele, os procuradores encaminharam a denúncia sem provas. Um roteiro de filme de quinta categoria sobre ações da CIA.

A prisão de Guido Mantega revela com mais profundidade o caráter americano do golpe de Estado no Brasil. A ação expõe o grau de perversidade da perseguição a Lula e a tudo que ele representa. É similar ao que fizeram em outros ataques à Nações do mundo, especialmente no Iraque e na Líbia. Lembram que enforcaram Saddan Hussein e explodiram a cabeça de Kadafi no meio da rua? É o nazi-fascismo-terrorista em marcha.

É disso que se trata, e sempre se tratou a Operação Lava Jato, saudada pela ilusão republicana. Não existe, nunca existiu, combate à corrupção, mas sim combate ao Brasil e ao seu desenvolvimento e a sua soberania. Em nome da Lava Jato, a indústria nacional foi destruída. O programa nuclear brasileiro foi paralisado e será definitivamente enterrado. A Defesa Nacional está sendo comprometida traiçoeiramente.

Já prenderem o principal líder da burguesia produtiva brasileira, Mercelo Odebrecht. Também condenaram covardemente a 43 anos de prisão o “pai do programa nuclear brasileiro”, Almirante Othon. Agora, falta prender o terceiro alvo da Lava Jato, o ex-presidente Lula. A nova operação é para isso, para dar sentido “ao conjunto da obra”. Afinal, Guido Mantega foi ministro de Lula.

O juiz Sérgio Moro não é um justiceiro, mas um jagunço do Império. É um agente a serviço da destruição da Nação brasileira. Instruído, treinado e preparado para dar sustentação ao golpe de Estado em curso. É da mesma laia de um Silvério dos Reis, dos volantes que mataram Lampião ou de um Cabo Anselmo. Senão o povo, pelo menos a história se encarregará dele. Do traidor de Tiradentes, nem o túmulo sobreviveu.

PS – O juiz Moro recuou de sua decisão e mandou soltar o ex-Ministro Mantega. Na verdade, o que ele fez, mais uma vez, foi promover um balão de ensaio, nos moldes da coerção de Lula em Congonhas. Antes de qualquer objetivo “eleitoral”, o que buscou foi aumentar o cerco a Lula, prendendo um ex-ministro de seu governo. E testar os limites da resistência das lideranças e da população, que reagiram rapidamente, talvez principalmente  pela truculência da “volante”. Não estão dando mínima para as eleições, o que querem é pegar o peão. Mas quem mandou voltar atrás mesmo foi a Rede Globo. 

 

Anúncios

3 comentários sobre “Moro, jagunço do Império

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s