Allons enfants de la Patrie

Fernando Rosa* – Os jornais franceses e europeus “acordaram” para o candidato Jean-Luc Mélenchon, nas eleições presidenciais da França. “Arrancada do esquerdista Mélenchon agita eleição francesa”, manchetou o espanhol El País. Ele também foi tema de artigos e matérias no Le Monde e no porta-voz da direita, Le Figaro, que dedicou-lhe capa com a manchete “Mélenchon:…

Lula inauguração Transposição do São Francisco Monteiro

Luiz Moreira: Lula deve politizar sua defesa

Brasil 247 – Um dos primeiros juristas brasileiros a debater a Judicialização, essa tentativa de promover mudanças nas políticas públicas sem voto popular o jurista Luiz Moreira deu uma entrevista ao 247 sobre a chamada “Lista do Fachin.” Moreira foi membro do Conselho Nacional do Ministério Público por dois mandatos e é um dos principais…

O feminismo e a linguagem de guerra

Dinah Lemos – Interessante o vídeo do ator americano famoso denunciando as cenas como a que a figurinista no caso do José Mayer denunciou. Assisti na TL de uma feminista e sei que várias feministas e feministos vão compartilhar. Pois é… fico pensando no que estamos vivendo: temos uma desregulamentação sendo imposta por meio de…

Desfile militar na Coréia do Norte

Da Redação – Em sua capital, Pyongyang, a Coreia do Norte comemorou neste sábado com um desfile militar o “Dia do Sol”, data do nascimento do líder fundador da dinastia, Kim Il-Sung (15 de abril de 1912 – 8 de Julho de 1994), avô do atual líder norte-coreano. No evento, o líder do governo do…

Os senhores da guerra

Fernando Rosa/Felipe Camarão O neoliberalismo não aceita os Estados Nacionais. O neoliberalismo não aceita a democracia. O neoliberalismo não aceita perder eleição. Não aceitou no Brasil. Não aceita no Equador. Não aceita nos EUA. O neoliberalismo só quer saber da guerra para impor a sua hegemonia a qualquer custo sobre o conjunto na Humanidade. Uma…

Em que estágio da desintegração nacional estamos?

Antônio Celso Ferreira – A resposta pressupõe a comparação com os Golpes por intervenção imperial direta (guerra) ou indireta (golpes por procuração) nos seguintes países: Afeganistão, Iraque, Líbia, Síria, Ucrânia, Egito e Paraguai, entre outros que ainda não foram consumados inteiramente (Argentina, Venezuela). Afeganistão, Iraque e Líbia tiveram seus Estados Nacionais praticamente destroçados, tornando-se territórios…